Páginas

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Filhos de 1 a 2 anos


Filhos de 1 a 2 anos


Seu bebê está com 1 ano e 1 mês
Assim que deixou o útero da mãe, a criança enxergava apenas os objetos próximos e o mundo parecia meio borrado. Mas agora seus olhos percebem com mais nitidez os objetos e as cores. Uma maneira de estimular a capacidade visual do bebê é levá-lo para passear ao ar livre. Quando estiverem num parque, aponte para os detalhes ao seu redor – o verde da grama e o azul do céu – e ensine a ele o nome de cada cor.
O exercício, além de ser divertido, pode contribuir para o desenvolvimento da linguagem e vai aumentar o vocabulário do pequeno.

Seu bebê está com 1 ano e 3 meses
É bem provável que o seu filho, nessa idade, já tenha aprendido que o copinho serve para beber água e a colher deve ser utilizada para comer a papinha.
Conforme o vocabulário da criança aumenta, ela também começa a associar as palavras aos objetos. E, com um pouco de estímulo, logo descobre que determinadas coisas têm funções específicas.
As mímicas e imitações podem ajudar muito agora. Simule que está comendo, penteando o cabelo, usando o telefone. O bebê aprende por imitação e logo repetirá todos esses gestos.

Seu bebê está com 1 ano e 4 meses
Ainda falta um bom tempo para o seu filho abandonar esse importante acessório. No entanto, quando a criança é receptiva, o treinamento para usar o penico pode começar cedo.
Confira se o seu bebê consegue caminhar com tranqüilidade, tem senso de direção e controla a bexiga e o intestino durante algumas horas. Já são três pontos a favor. Se ele abre a boca para reclamar quando a fralda está suja ou avisa quando vem sujeira pela frente, também é um ótimo candidato a aprender a usar o troninho.
No início, o treino deve ser brando e exige muita paciência dos pais. Com o passar do tempo, as lições podem ser intensificadas e o aprendizado é mais rápido.

Seu bebê está com 1 ano e 5 meses
Alguns bebês começam a freqüentar a escola maternal logo cedo, até antes de completar 1 ano. Outros, por opção dos pais, estréiam mais tarde.
Se o seu pequeno está perto de debutar na vida escolar, é bom ficar atenta. Segundo os especialistas, nessa fase, as crianças tendem a se apegar mais a quem está tomando conta delas e ficam ansiosas quando a mãe ou o pai não estão por perto.
Nos próximos três meses, no entanto, a chamada ansiedade de separação tende a diminuir. É um alívio para os pais. Mesmo assim, o contato com o novo ambiente requer alguns cuidados, principalmente para evitar as doenças de pele e manter o bebê longe de parasitas.

Seu bebê está com 1 ano e 6 meses
Agora que o seu pequeno aprendeu a andar, vai aperfeiçoar cada vez mais essa habilidade. Mas, por enquanto, não espere corridas e piruetas. No máximo, ele vai manter as pernas bem afastadas e pode pender de um lado ao outro.
Seis meses após os primeiros passos, as crianças adquirem um andar mais firme e, aos poucos, se sentem seguras para experimentar pequenas corridas.
Lembre: agora que está crescendo, seu filho precisa de espaço para se desenvolver e treinar as novas habilidades.

Seu bebê está com 1 ano e 7 meses
Balde, pá e uma areia macia para escavar. É apenas disso que seu filho precisa para se divertir enquanto estiver na praia.
Bom, na verdade ele necessita de muitos cuidados nesse ambiente. A exposição ao sol, pra começo de conversa, só está liberada no início da manhã ou no fim da tarde.
Com uma pele tão sensível, o protetor solar também é obrigatório. Mas alguns pais erram a mão na hora de aplicar o produto. Por isso, não deixe de conferir as dicas dos especialistas.
O contato com o mar e a areia também pode abrir brechas para alguns microorganismos, como o famoso bicho-geografico e os fungos que causam micoses. Nesse caso, fique alerta aos principais sintomas para mandar esses oportunistas embora o mais rápido possível, mais é claro não deixe de seguir orientações médicas.

Seu bebê está com 1 ano e 9 meses
Renovar o guarda-roupa do seu filho, agora que ele está crescendo, é uma necessidade constante. Pudera. O primeiro enxoval que você montou para ele já é coisa do passado.
Ao comprar novas roupas, fique atento às  recomendações dos dermatologistas. Tecidos sintéticos, por exemplo, podem causar alergias na delicada pele da criança. Outro material que merece atenção é a lã. Em algumas crianças, os fios provocam coceira e irritação.
No calor, evite agasalhar demais o seu pequeno. Quando a pele ficar abafada e suada, as brotoejas se instalam. Esse problema é mais comum em bebês menores de um ano. Mas os grandinhos não estão 100% isentos e, se os pais não adotarem os cuidados certos, podem sofrer alguns apuros.

Seu bebê está com 1 ano e 11 meses
Ainda é cedo para o seu filho desenhar letras ou aprender o be-á-bá. Mas isso não significa que ele deva ficar longe do lápis e papel. Pelo contrário. Desde que o material não seja tóxico, a criança está liberada para pintar o sete e com supervisão de um adulto, pois não queremos que seu pequeno caia com uma lápis na mão por exemplo.
No início, os desenhos não têm muito sentido, não passando de riscos tortuosos. Mas logo vão surgir círculos, linhas e espirais. Essa habilidade será aperfeiçoada a partir dos dois anos de idade, quando as mãos do bebê ficam mais ágeis. Mas nunca deixe de elogiar seu filho, pois uma falta de elogio pode causar uma frustração futuramente.
Os rabiscos também podem ser um ponto de partida para a criança conhecer as diferentes cores e nomear cada uma delas. É um aprendizado divertido, além de contribuir para criatividade e o desenvolvimento da linguagem.

Seu filho está com 2 anos
Uma verdadeira explosão no vocabulário do seu filho ocorreu nos últimos seis meses. O papapá e o mamamá agora deram lugar a expressões mais complexas e, em breve, ele conseguirá montar pequenas frases.
Nessa idade, o pequeno falante pode aprender de 10 a 20 palavras novas todos os dias, dizem os especialistas. E o arsenal lingüístico que ele conquistou até aqui é impressionante. Uma criança de dois anos é capaz de nomear 300 coisas!
A partir de agora, a capacidade de comunicação da criança tende a aumentar ainda mais..


O desenvolvimento da linguagem
Por Débora Mamber
Durante todo o primeiro ano de vida, a criança venceu uma série de etapas do desenvolvimento cognitivo e motor. Deixou de ficar somente deitada, mamando, e passou a se locomover, a manipular objetos e a interagir com o espaço e com as pessoas à sua volta. Está também mastigando, sinal de que sua musculatura oral se tornou mais hábil. Antes, qualquer objeto ia diretamente para a boca ou, então, era jogado para longe. Agora, ela diferencia seus brinquedos, entende que um livro é para ser folheado e sabe que uma maçã deve ser comida. Nesse novo contexto, o pequeno está pronto para ampliar seu vocabulário.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Datas Comemorativas do Mês de Setembro

Datas Comemorativas do Mês de Setembro


01-  Início da Semana da pátria
01-  Dia do Profissional de Educação Física
02-  Dia do Repórter Fotográfico
02- Dia Internacional do Livro Infantil
03-  Dia do Guarda Civil
03-  Dia do Biólogo
05-  Dia Oficial da Farmácia
05-  Dia da Amazônia
06-  Dia do Alfaiate
06-  Oficialização da letra do Hino Nacional
07-  Independência do Brasil
08-  Dia Internacional da Alfabetização
09-  Dia do Administrador
09-  Dia do Médico Veterinário
09-  Dia da Velocidade
10- Dia da Imprensa
10-  Fundação do 1º Jornal do Brasil
12-  Dia do operador de rastreamento
13- Dia do Agrônomo
14-  Dia da Cruz
14-  Dia do Frevo
15-  Dia do Cliente
16-  Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozônio
17-  Dia da Compreensão Mundial
18-  Dia dos Símbolos Nacionais
19-  Dia de São Geraldo
19-  Dia do Teatro
20-  Dia do Funcionário Municipal
20-  Dia do Gaúcho
21-  Dia da Árvore
21-  Dia do Fazendeiro
21-  Dia da Luta Nacional das Pessoas com Deficiências
22-  Data da Juventude do Brasil
22-  Dia do Contador
23-  Início da primavera
23-  Dia do Soldador
23-  Dia do Técnico Industrial e do Técnico em Edificações
25-  Dia Nacional do Trânsito
26-  Dia Interamericano das Relações Públicas
26-  Dia Nacional do Surdo
27-  Dia de Cosme e Damião
27-  Dia do Encanador
27-  Dia Mundial de Turismo
27-  Dia Nacional do Idoso
28-  Dia da Lei do Ventre Livre
29-  Dia do Anunciante
29-  Dia do Petróleo
30-  Dia da Secretária
30-  Dia da Navegação
30-  Dia Mundial do Tradutor
30-  Dia Nacional do Jornaleiro

Filhos de 0 a 1 ano

FILHO DE 0 A 1 ANO

Parabéns pelo nascimento de seu bebê!
As últimas 40 semanas foram inesquecíveis. Aconchegado no útero, o bebê cresceu e se desenvolveu. Quietinho, só queria saber do carinho e da proteção que a mãe lhe oferecia. Mas aí chegou o momento de nascer e ele, que não é nada bobo, abriu aquele berreiro e anunciou sua estréia no mundo. E que estréia, hein?
Apesar do tamanho, o pequeno já está ocupando um grande espaço na rotina da família. Com poucos dias de vida, deixa bem claro quando quer se alimentar ou dormir. E, algumas vezes, reclama um pouco na hora do banho ou da troca de fraldas.
Agora, você vai precisar colocar em prática novos cuidados com a saúde, alimentação, higiene e desenvolvimento do seu filho.

Seu bebê está com 4 meses
Os meses voaram, não é mesmo? E, diante do calendário, não dá mais para disfarçar a aflição. O bebê acaba de completar 4 meses e, para muitas mães, chegou o difícil momento de retornar ao trabalho.
Quantas perguntas passam pela cabeça das mulheres nessa hora... Será que o pequeno vai ficar bem? Como ele vai reagir à distância? É melhor deixá-lo sob os cuidados da avó ou de uma babá?
Mas vamos com calma, mãe! Para começar, é bom deixar a culpa de lado e, principalmente, não se cobrar tanto.  Afinal, você já está dando o melhor de si e os sentimentos negativos só vão piorar as coisas.
Também saiba que não existe uma fórmula mágica para lidar com a dúvida sobre com quem deixar a criança.  Cada situação é uma e você precisa avaliar bem os prós e os contras das várias opções e a mãe sabe bem o que é melhor para o seu filho, ela nunca vai fazer algo que possa prejudicar esse pequeno.
É óbvio que, nos primeiros dias, o bebê vai sentir um pouquinho a sua ausência. Mas, acredite, ele logo vai se acostumar. Você só precisa respirar fundo, encarar a mudança com tranqüilidade e lembrar, a cada dia, que está sendo uma mãe nota mil!
Ele era tão cabeludo, mas agora... está ficando careca?! Não é bem assim. Nesta fase, é normal o bebê perder um pouco dos cabelinhos que tinha ao nascer. Os primeiros fios, que surgiram quando ele ainda estava no útero, agora precisam se renovar. E isso, é bom lembrar, leva algum tempo.
Agora que você já sabe de mais esse detalhe sobre o desenvolvimento do seu filho, não se espante se, logo pela manhã, notar que o travesseiro dele está coberto de cabelos... Esse é um dos primeiros avisos de que a renovação dos fios está acontecendo. Aliás, experimente perguntar para outras mães e você vai descobrir que muitas já levaram um baita susto ao notar que o bebê estava ficando careca.
Por falar em conversar, você já pensou no quanto é importante criar uma rede de amigas para discutir assuntos como esse. Os aprendizados e desafios da maternidade são muitos, não é mesmo? Mas é dialogando que muitas das nossas dúvidas acabam sendo resolvidas.
Claro que você não precisa seguir todos os conselhos que ouvir. E isso, inclusive, vale para as avós. Essas mães tão experientes têm sempre muito a ensinar. Mas é preciso ir com calma para essa relação ser a melhor possível.

Seu bebê está com 5 meses
Em breve, os primeiros dentes do seu filho vão despontar e, logo mais, ele vai abrir aquele sorriso. Os sinais de que isso está prestes a acontecer são fáceis de notar. A gengiva coça muito e fica inchada, vermelha. E o bebê, que não resiste a essa coceirinha, leva sempre à boca algum brinquedo para reduzir o desconforto. Se ele estiver fazendo isso com freqüência, você já sabe que tem dente à vista...
Será que dói? Depende. Quando os pais costumam usar gaze ou dedeira para limpar a boca da criança logo após a mamada, além de prevenir as cáries, também estão preparando a gengiva para receber os dentes. Então, se você adotou esse cuidado até aqui, pode relaxar. Mas atenção: o bebê talvez apresente um pouco de febre ou diarréia nesse momento. Mas não deixe de ver a opinião do pediatra sobre estes sintomas!

Seu bebê está com 6 meses
Meio ano de vida! É tempo de comemoração e novidades na rotina do seu filho. A partir de agora, o seu bebê pode aproveitar também os passeios ao ar livre. Sem falar que um pouquinho de sol – desde que na intensidade recomendada pelos pediatras – faz bem para a saúde.
Na hora de sair de casa, não abra mão dos cuidados que você adotou até aqui. Bonés e camisetas são obrigatórios para proteger a delicada pele da criança. Os melhores horários para se expor aos raios solares, como você bem sabe, são no início da manhã e no fim da tarde.
E o protetor solar? Agora, sim, ele está liberado para o seu filho. Mas também é bom conversar com o pediatra sobre isso, pois dependendo do protetor solar pode desencadear uma alergia, por tanto é sempre bom o acompanhamento de um pediatra.
Hummm, tem sabor de novidade no cardápio. São as papinhas doces. Depois dos 6 meses de idade, o seu filho já pode provar os primeiros alimentos sólidos. Bom, como tudo na vida de um bebê, essa mudança deve ser cuidadosa.
As papinhas têm de ser introduzidas aos poucos na dieta infantil e não podem substituir o leite materno. O aleitamento, orientam os médicos, continua até os 2 anos de idade. Depois de um tempo, você poderá introduzir as papinhas salgadas. Quando ele se acostumar a essa novidade, outros alimentos entram em cena. Mas tudo a seu tempo!

Seu bebê está com 7 meses e 2 semanas
O primeiro dente nasceu, mas, se você não tomar cuidado, uma inimiga sorrateira pode estragar o sorriso do seu bebê. É a cárie, que age rápido para atacar os delicados dentes-de-leite.
A higiene bucal correta é a melhor maneira de proteger a dentição do seu filho. Então, providencie uma escova apropriada para mandar embora todos os restos de leite e papinha. Como ele ainda não sabe cuspir, dispense o creme dental – ou, então, escolha uma marca sem flúor.( com o consentimento do pediatra)
Lembre: esse zelo deve ser mantido inclusive à noite. Depois das mamadas noturnas, muitos pais relaxam com a limpeza dos dentes do bebê. Aí, pode entrar em cena a perigosa cárie de mamadeira.

Seu bebê está com 9 meses
Nessa idade, ele só quer saber de brincar... E tem todo o direito a isso! O seu bebê está numa fase de descobertas, cada vez mais atento aos sons, às texturas e às cores dos objetos. Aproveite para estimular sua percepção e suas habilidades motoras, oferecendo brinquedos apropriados a esse período da vida do pequeno. Na lista de presentes, você pode incluir carrinhos, peças para encaixar e bonecos leves e vistosos.
Na hora das compras, lembre-se de verificar o selo de qualidade, que deve estar bem visível na embalagem. A indicação da faixa etária é outro detalhe que merece a atenção dos pais. Todo esse zelo vai manter o seu filho longe de encrencas. Já imaginou se uma pecinha do brinquedo soltar de repente? Há sempre o risco de ele levá-la à boca. E esse é apenas um dos perigos de comprar brinquedos inadequados para a meninada.
Agora que seu filho completou 9 meses, ele precisa receber a primeira dose da tríplice viral, uma vacina que protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba.

Seu bebê está com 10 meses
Bábábá e tátátá. Não adianta quebrar a cabeça para tentar entender o significado desse balbucio. Nessa fase, o bebê ainda está ensaiando as primeiras palavras e talvez nem ele saiba o que está tentando dizer.
Daqui para a frente, no entanto, seu repertório tende a aumentar. Por volta de 1 ano, é bem provável que você escute a criança pronunciar termos próprios ao vocabulário dessa faixa etária, como mamá e papá. Com mais algum tempo e um pouco de estímulo, os pequenos tagarelas logo começam a disparar palavras completas, como mamãe e papai.
Experimente fazer sons diferentes com a boca, repetir as palavras e recorrer à linguagem infantilizada, carregando as sílabas de meiguice. Pode parecer bobo, mas isso vai ser um incentivo extra para o seu filho desenvolver a capacidade de se comunicar.

Seu bebê está com 11 meses
Ele pode até tropeçar um pouquinho, mas é destemido como toda criança e, agora que consegue ficar em pé, quer dar seus primeiros passos. No começo, não é bom soltar seu filho de uma vez. Seus músculos e suas articulações precisam antes se acostumar ao novo desafio. Portanto, qualquer ajuda – seja segurando a mão, seja apoiando o bebê embaixo dos braços – é recomendável.
Enquanto a hora de andar sozinho não chega, nada de recorrer ao andador. Os especialistas não indicam esse aparelho, que pode prejudicar o desenvolvimento das pernas.
Daqui para a frente, após completar 1 ano, o pequeno começará a se soltar mais e logo aprenderá outras habilidades, como correr e pular. Aí, ninguém mais vai segurar o seu filho...
A irritação na testa do seu bebê parece ter sido causada por algum inseto, porém a causa desse incômodo talvez atenda pelo nome de brotoeja. A pele vermelha levantou suspeitas sobre o sabonete. No entanto, a culpada pela chateação talvez seja uma alergia ao tecido daquela roupa nova em folha.
Descobrir o agente por trás de alguns problemas dermatológicos não é fácil e, quase sempre, os pais se confundem nessa tarefa. Como a pele da criança é muito delicada, não dá para perder tempo.
Sintomas como manchas vermelhas, ressecamento e irritação valem uma visita ao dermatologista. Esse especialista, que age como um verdadeiro detetive vai identificar e combater a ação de fungos e outros microorganismos que podem estar tirando o sossego do pequeno.

Seu bebê está com 1 ano
Com 1 ano de idade, seu filho está começando a tagarelar e a caminhar. Além disso, é bem provável que ele já esteja participando das refeições em família. Mas, antes de se sentar à mesa, a primeira lição é usar o copinho.
Desde que passou a comer as papinhas, ele está liberado para beber água e sucos. E isso também vale para bebês que utilizam a mamadeira.
Aliás, não abuse dela. Os especialistas lembram que seu uso prolongado pode provocar problemas na arcada dentária e prejudicar a mastigação da criança. O mesmo alerta vai para as chupetas. Esses dois acessórios não são recomendados, mas, se não houver jeito, o segredo é evitar exageros e recorrer aos bicos ortodônticos, mas sempre que puder esconda, pois se a criança não ver não vai querer o tempo todo.

Não se esqueça das frutas, criança tem que comer muitas frutas, mas é bom conversar com o pediatra, pois ele ira orientar sobre seus benefícios e os malefícios de cada fruta para cada mês do seu bebê.

A História do ESMALTE


 História do ESMALTE
Ao falar sobre esmalte, muitas pessoas logo se lembram do hábito que muitos têm em pintar ou reforçar as unhas através dessa mistura química que pode ser incolor ou multicolorida. As mulheres, em sua maioria, se perdem na infinidade de cores (muitas delas com nomes incompreensíveis) que prometem um visual mais elogioso ou mais antenado. Além disso, vários violonistas empregam o material para que as unhas não quebrem durante uma apresentação.
Apesar de tantos usos na contemporaneidade, o esmalte já integrava o cotidiano da realeza do Antigo Egito. Por volta de 3500 a.C., as mulheres egípcias aplicavam uma tintura de henna preta nas unhas. As cores mais vibrantes ficavam relegadas ao uso da família real e chegavam a despertar algumas preferências entre as rainhas do Egito. Cleópatra tinha uma clara preferência pela tonalidade vermelho-escura. Já Nefertiti tinha mais gosto pelo esmalte de tom rubi.
O mesmo poder de distinção social observado no uso do esmalte entre os egípcios também era perceptível entre os chineses. Em meados do século 3 a.C., o uso de tons vermelhos e metálicos (feitos com soluções de prata) significavam a ocupação de um lugar privilegiado na hierarquia social. Já entre os romanos, a pintura dava lugar a tratamentos com materiais abrasivos que faziam o polimento das unhas.
A tecnologia para o tratamento das unhas ficou relativamente estagnado até o século XIX. Nessa época, os cuidados se restringiam à obtenção de unhas curtas e que estivessem moldadas por uma boa lima. Em alguns casos, as unhas eram ligeiramente perfumadas com óleo e polidas com uma tira de couro. Numa época em que o recato era uma importante virtude, a extravagância dos esmaltes não seria nenhum pouco prestigiada.
Até essa época, uma das grandes descobertas foi a invenção do palito até hoje utilizado para a remoção das cutículas. No começo do século XX, os esmaltes começaram a recuperar espaço com o uso de soluções coloridas que não permaneciam fixadas mais do que algumas horas. Somente em 1925, durante estudos que desenvolviam tinturas para carros, foram descobertas as primeiras soluções que se assemelham com os esmaltes de hoje. 
Na sua primeira versão, o produto era de um tom rosa-claro e era aplicado no meio das unhas. Chegando à década de 1930, já podemos notar que a “pintura” nos dedos do pé e da mão fazia muito sucesso entre as grandes estrelas do cinema hollywoodiano, como Rita Hayworth e Jean Harlow. No ano de 1932, os irmãos Charles e Joseph Revlon custearam a invenção de um novo tipo de esmalte, mais brilhante e com um leque variado de tonalidades.
Nas décadas seguintes, vemos que a tecnologia empregada foi se tornando cada vez mais complexa. As unhas postiças parecem como uma boa alternativa de se chamar a atenção sem gastar horas na manicure. Há poucos anos foram disponibilizadas máquinas capazes de imprimir uma imagem digital nas unhas. Difícil é saber onde a indústria da beleza pode chegar a fim de atiçar a vaidade feminina.

A História da MAQUIAGEM


A maquiagem é um adereço indispensável para muitas mulheres, muito utilizada para toda ocasião, como festas, cerimônias e também para trabalhar. Muitos cosméticos, além da função estética, possuem outras funções, como proteger, hidratar e até mesmo nutrir a pele, pois muitas têm em suas composições minerais vitaminas, hidratantes e filtro solar.

HISTÓRIA DA MAQUIAGEM
A história da maquilagem (ou maquiagem) começa no antigo Egito, onde os faraós pintavam os olhos para que evitasse que as pessoas olhassem-no diretamente, era um símbolo político de respeito. Mais ou menos na mesma época, Cleópatra já usava pó khol nas pálpebras, assim como tomava banho de leite e usava argila no rosto. Passando para Roma, as mulheres usavam máscaras de farinha, miolo de pão e leite durante a noite sobre o rosto para melhorar a pele. Conta a lenda que Psyché foi buscar no inferno o segredo da pele branca da deusa Vênus, trazendo a cerusa, ou alvaiade, para compor suas fórmulas mágicas. Até a Renascença italiana esse mesmo alvaiade era usado durante o dia pelas lindas mulheres nobres, que à noite cobriam suas faces com emplastros de vitelo cru molhado no leite a fim de minimizar os efeitos nocivos causados pelo alvaiade. O Kama Sutra, escrito entre os séculos I e IV, define a mulher ideal como Padmini, aquela que tem "... a pele fina, macia e clara como o lótus amarelo..." No Japão, do século IX ao XII, período de Heian, a valorização da pele branca era regra geral. Para obter a aparência extremamente clara as mulheres aplicavam um pó espesso e argiloso feito de farinha de arroz, chamado oshiroi. Depois passaram também a usar o beni, pasta feita do extrato de açafrão, para colorir as maçãs do rosto.Aproximadamente em 150AC o físico Galeno criou o 1o creme facial do mundo, adicionando água à cera de abelha e óleo de oliva. Mais tarde o óleo de amêndoas substituiu o azeite e a incorporação de bórax contribuiu para a formação da emulsão, minimizando o tempo de processo. Estava aí a primeira base para sustentar os pigmentos de dióxido de titânio e facilitar a aplicação na face; nascia a base cremosa facial. Propaganda enganosa X bruxaria No final do século XVIII, o Parlamento inglês recebeu a proposta de uma lei que tentava impor sobre as mulheres a mesma penalidade por adorno que era imposta por bruxaria. O termo desobrigava de suas responsabilidades os maridos que haviam casado com uma "máscara falsa": "Todas as mulheres que à partir deste ato tirarem vantagem, seduzirem ou atraírem ao matrimônio qualquer súdito de Sua Majestade por meio de perfumes, pinturas, cosméticos, loções, dentes artificiais, cabelo falso, lã de Espanha, espartilhos de ferro, armação para saias, sapatos altos ou anquilhas, ficam sujeitas à penalidade da lei que agora entra em vigor contra a bruxaria e contravenções semelhantes e que o casamento, se condenadas, seja anulado..." É hilária a carta publicada no jornal britânico The Spectator, no ano 1711, onde um marido aflito desabafa... "Senhor, estou pensando em largar minha mulher e acredito que quando o senhor considerar o meu caso, a sua opinião será a de que minhas pretensões ao divórcio são justas. Nunca um homem foi tão apaixonado como eu pela sua fronte, pescoço e braços alvos, assim como a cor azeviche de seus cabelos. Mas para meu espanto descobri que era tudo feito de arte: sua pele é tão opaca com esta prática, que quando acordou de manhã, mal parecia jovem o suficiente para ser mãe de quem levei para a cama na noite anterior. Tomarei a liberdade de deixá-la na primeira oportunidade, a menos que seu pai torne sua fortuna apropriada às suas verdadeiras, e não supostas, feições..." O rei Henrique VII mandava os pintores retratarem suas pretendentes matrimoniais, pedindo também às pessoas que cercavam a rapariga que respondessem um extenso questionário sobre a futura esposa. As instruções previam saber como era o rosto, se estava pintada e se havia algo "perto dos lábios", referindo-se ao uso de batons e brilhos. Elizabeth I, a rainha virgem, que assim ficou famosa por ter morrido sem se casar, usou até o final de seus dias as faces cobertas de branco, as maçãs pintadas com círculos vermelhos bem definidos e a cabeça coberta por uma peruca de cabelo ruivo e dourado. E a Vaidade Vence...Com a Segunda Guerra Mundial, as fábricas de cosméticos dão uma estacionada, pois toda a energia se concentrava para produção de armas, voltando-se então no século XVIII em que as mulheres mesmo preparavam seus produtos. Com o fim da guerra nos anos 50, a maquiagem volta com tudo, com o estilo fake – pele pálida, lábios realçados e olhar delineado. Os anos 60 é o auge, já que atinge por completo os jovens, fazendo com que a indústria se aprimorasse mais nas embalagens e estojos. Os anos 70, marcados pelo Disco, trazem a variedade de cores. Em 80, os pigmentos evoluíram, assim como o conceito de protetor solar e preocupação com o envelhecimento da pele. O primeiro estilista surgiu no século XIX, quando um verdadeiro artista traz uma nova fonte de prestígio à moda; Charles Frederick Worth abriu sua loja em Paris em 1858, para vender modelos de casacos e sedas de primeira classe. A imperatriz Eugénie, esposa de Napoleão III era sua mais famosa cliente. Em 1885 é fundada a Chambre Syndicale de la Couture Parisienne, regulamentando a arte da alta costura. Paul Poiret, Madeleine Vionnet, Coco Chanel, Christian Dior, Cristóbal Balenciaga, Hubert Givenchy são alguns dos nomes que mudaram a história da moda no mundo, causando a necessidade de uma mudança de patamar na indústria de produtos para maquilagem. Durante os 100 anos seguintes Paris firmou-se como autoridade em moda, trazendo para o mundo da maquilagem um novo alento. Podemos dizer que a popularização da moda aconteceu em 1892, com o lançamento da revista Vogue, tendo em seus primeiros números personalidades como Gertrude Vanderbilt Whitney, vestindo suas próprias roupas. Quando Condé Nasta comprou a revista, em 1909, a publicação passa a ter um enfoque mais atraente, mostrando objetos do desejo para todas as mulheres. É somente no século XX, com os avanços da indústria química fina, que os cosméticos se tornam produtos de uso geral. Em 1921, Paris é palco de uma verdadeira revolução na história do batom; é primeira vez que um produto desta categoria é embalado num tubo e vendido em cartucho. O sucesso é tal que em 1930 os estojos de batom dominam o mercado americano, trazendo uma nova fase para o desenvolvimento destas formulações. A morena Marilyn Monroe usava maquilagem clara e pintava lábios vermelhos intensos, atraindo e intensificando sua feminilidade. O maquilador americano Kevyn Aucoin conta que em 1967, ainda criança, quando confundiu a maquilagem branco-rosada intensa de uma vendedora de cosméticos com a aparência deixada pela aplicação de loção de calamina. Esta mistura de óxido de ferro vermelho e óxido de zinco era muito usada, na época, para aliviar o desconforto causado por picadas de insetos. A ingenuidade de Kevyn levou-o a comentar com a moça o quanto ele estava penalizado por sua dor! Como resposta deparou-se com um silêncio sepulcral, que só foi entendido pelo menino quando sua mãe, já a caminho de casa explicou que se tratava de maquilagem e não remédio... Na década de 70 as cores de maquilagem tornaram-se populares, acompanhando as coleções de alta-costura francesa, italiana e inglesa. Cada vez que um grande costureiro lançava uma nova coleção de cores e formas para as roupas, lá vinha um tom de sombra específico para os olhos, uma nova cor de boca. Dior, Chanel, Yves Saint Laurent e todos os grandes fabricantes ousavam e enchiam os olhos das mulheres de todo o mundo com suas criações cada vez mais tentadoras. E é no final da década de 80 que entram em lançamento as fórmulas evoluídas para cosméticos pigmentados.

Às beiras do novo milênio finalmente entram em cena fórmulas baseadas em tecnologia de vanguarda, cujo uso garante propriedades bem interessantes para nossa beleza, como proteção solar, umectação e controle do envelhecimento da pele. Nos anos 90 a era do benefício visível ganha importância vital. A haute couture toma rumos inteligentes nesta nova era. Estilistas ingleses de vanguarda como John Galliano e Alexander McQueen vêm dar uma ventilada nas conservadoras Dior e Givenchy, alterando mais uma vez a história da moda & make-up. Hoje podemos nos beneficiar do produto que colore e trata a pele, limpa, perfuma e protege os cabelos, como nunca antes na história da humanidade. Yohji Yamamoto, Rei Kawakubo, Helmut Lang e Ann Demeulemeester apontam para uma nova era, a era da Beleza Inteligente, onde cada ser possa encontrar seu equilíbrio na roupa, no cheiro e na cor.Fonte: www.maquiagemfacil.com.brDe 2000 aos tempos atuais Fragmentos de todas as décadas passadas se misturam e contam um pouco da história da beleza feminina através dos tempos. Com a chegada do novo milênio, os diversos aspectos adotados pela beleza nos serviram de espelho. A aparência, em manifestações diversas e imagens extremas, refletiram os processos de transformação. Os dois últimos anos misturam todos os possíveis estilos de moda e maquiagem. Trazem a classe e a elegância do início do século, a delicadeza sexy dos anos 60, a irreverência dos anos 80 e a "apatia" em tom de protesto dos anos 90.
A moda permanece até hoje e a indústria da maquiagem cresce cada vez mais e com ela, as pesquisas, fazendo com que novos produtos cheguem ao mercado mais rapidamente.
As mulheres hoje não dispensam mais o uso da maquiagem, seja uma básica, seja produção mais elaborada, todas utilizam pelo menos um item de maquiagem. Gastam seu tempo e seu dinheiro com esse item que já não é mais apenas estético, já se tornou um cuidado básico pessoal.
Mas esse não é mais um privilégio feminino, homens estão aderindo cada vez mais. A maioria opta por produtos básicos para disfarçar imperfeições ou tirar o brilho do rosto, como corretivos e pós. Na Europa já existe indústrias cosméticas específicas para homens, é um mercado que tende a crescer. É um sinal que a maquiagem, que é um item tão importante para mulheres de todas as idades, está prestes a dominar o mundo masculino também.